Apesar da incontinência urinária se apresentar na maioria das vezes em mulheres, ela também pode acometer os homens, principalmente após a cirurgia de próstata (pós-prostratectomia) ou radioterapia.
As perdas urinárias podem surgir a partir da retirada da sonda vesical de demora. A maioria das incontinências regressa espontaneamente em algumas semanas que se seguem após a cirurgia. É muito importante iniciar a reeducação do assoalho pélvico para estimular a aparelho esfincteriano o mais precoce possível, ou seja, após um mês do ato cirúrgico já se pode iniciar a fisioterapia para ajudar na melhora da incontinência.
A reeducação da incontinência masculina tem se modernizado em consequência do aumento do número de intervenções devido ao envelhecimento da população masculina. O objetivo da Fisioterapia é reduzir a frequência miccional aumentada, aumentar a força e resistência dos músculos do assoalho pélvico, facilitar o esvaziamento da bexiga, e reduzir os episódios de perda urinária.
A incontinência urinária também pode estar presente em pessoas que apresentam algum problema de ordem neurológica fazer link (como AVC, lesão medular, esclerose múltipla, doença de Parkinson), pois essas condições geralmente ocasionam alterações no funcionamento da bexiga, e devido a essas alterações a denominamos bexiga neurogênica.
Retornar